31
Jul 14

SER MULHER

Ser mulher não é ter nas formas de escultura,

No traço do perfil, no corpo fascinante,

A beleza que um dia o tempo transfigura

E um olhar deslumbrado atrai a cada instante.

 

Ser mulher não é só ter a graça empolgante,

O feitiço absorvente, a lascívia e a ternura;

Ser mulher não é ter na carne provocante

A volúpia infernal que arrasta e desfigura...

 

Ser mulher é ter na alma essa imortal beleza

De quem sabe pensar com toda a sutileza

E no próprio ideal rara virtude alcança...

 

É ter, simples e pura, os sentimentos francos...

E, ainda, no fulgor dos seus cabelos brancos,

Sonhar como mulher, sentir como criança!

 

Carmen Cinira, 

Sensibilidade / Antologia Portuguesa e Brasileira

(edição de Evaristo Pontes Rodrigues,1974)

publicado por RAA às 18:40 | comentar | favorito
31
Jul 14

CANÇÃO DO MUNDO PERDIDO

Menino: o teu mundo,

Também já foi meu;

Tão belo e profundo,

Tão perto do céu!

 

Mas o Tempo veio

E fez-me (tão cedo!)

Acordar, a meio

Do sonho mais ledo.

 

A chave emprestada,

Quis restituída;

Ou antes: trocada

P'la chave da vida.

 

Que mundo tristonho,

Agora, é o meu!

Tão pobre de sonho,

Tão longe do céu!

 

Quem tal o diria?!

 

O mundo que um dia

Também será teu...

 

Carlos Queirós

publicado por RAA às 13:23 | comentar | favorito