A BRISA E A CHUVA

Buscas consolo no sopro do vento?

Em sua aragem há perfume e almíscar

Que até ti vem, ataviado de aromas,

Fiel mensageiro da tua doce amada.

 

O ar prova os trajes das nuvens

E escolhe um manto negro.

Uma nuvem prenhe de chuva

Acena ao jardim, saúda-o

Vertendo lágrimas nas risonhas flores.

 

A Terra apressa a nuvem

Para que lhe acabe o manto.

E a nuvem com uma mão

Entretece fios de chuva

E com a outra vai-o enfeitando

Com um bordado a flores.

 

Ibn Sara

(Adalberto Alves)

publicado por RAA às 11:34 | comentar | favorito