INFERNO

Lasciate ogni speranza voi ch'entrate

 

Aqui a asa não sai do casulo, o azul

não sai da treva, a terra

não semeia, o sêmen

não sai do escroto, o esgoto

não corre, não jorra

a fonte, a ponte

devolve ao mesmo lado, o galo

cala, não canta a sereia, a ave

não gorjeia, o joio

devora o trigo, o verbo envenena

o mito, o vento

não acena o lenço, o tempo

não passa mais, adia,

a paz entedia, pára

o mar, sem maremoto,

como uma foto, a vida,

sem saída, aqui,

se apaga a lua, acaba,

e continua

 

Arnaldo Antunes

publicado por RAA às 12:35 | comentar | favorito