"AO VER A SUA BOCA AO PÉ DA MINHA BOCA"

Ao ver a sua boca ao pé da minha boca,

desviei o olhar. E as mãos pus nos ouvidos,

quando as palavras dele retiniam.

Também escondi com as mãos o suor de enleio

que a fronte me perlava. Tentei tudo.

Mas que fazer, quando senti que as vestes

por si caíam pelo meu corpo abaixo?

 

Amaru

(Jorge de Sena)

publicado por RAA às 17:38 | comentar | favorito