2009, PINA BAUSCH

«As eleições de domingo no Benfica

estão comprometidas; morreu

Pina Bausch, a coreógrafa alemã.» -- foi assim,

de rajada, numa frase única a colar-se

ao vidro do táxi, que fiquei a saber da sua morte.

 

E tive pena, recordei enquanto não pedia troco

a tristeza feliz de a ver dançarCafé Müller

há um ano, no tempo em que estávamos vivos.

 

Mas já não tenho poemas.

Nem mesmo para si, Pina Bausch.

 

Manuel de Freitas

publicado por RAA às 18:59 | comentar | favorito