MAGAÍÇA

Magaíça, ao partir, não se prende

mas sofrendo no Rand é que aprende

que a mina é inferno, desterro e má sina,

que a terra é o céu de quem vive na mina!

 

Vem ver o sol, vem ver,

que é morte viver

debaixo do chão!

 

Diz, Magaíça, diz,

diz adeus à raiz,

diz adeus ao carvão...

O oiro que a mina te dá

não paga a saudade que há

no teu coração!

 

É lá fora que correm gazelas,

é lá fora que há nuvens e estrelas,

que o milho espigado, na seara a crescer,

parece que pede que o venham colher!

 

Reinaldo Ferreira

in Manuel Ferreira, No Reino de Caliban III

publicado por RAA às 13:36 | comentar | favorito