2.º POEMA [DA ESPERANÇA]

Quando souberes

que a minha hora chegou

não deves estranhar

não deves chorar

e nem sequer os braços cruzar.

Quem chora

quem cruza

consente,

e nós não devemos consentir.

 

Caobelo

in Manuel Ferreira, No Reino de Caliban II

publicado por RAA às 19:20 | comentar | favorito
tags: