CORRESPONDÊNCIA SECRETA

2

 

À beira de um maior deslumbramento

duram-nos as palavras por tocar;

mas a voz recortada pelo vento

vem lembrar ao desejo um outro mar.

 

Se eu nunca desejasse e só tivesse

das palavras o fino limiar,

talvez a minha voz que te estremece

pudesse nestes versos sossegar.

 

À beira de um maior deslumbramento

quem nos fala dos corpos por tocar?

Quem fez deste silêncio chamamento,

de um ardor a promessa de outro mar?

 

Luís Filipe Castro Mendes

in Limiar #4, 1994

publicado por RAA às 19:33 | comentar | favorito