O RAPAZ DO TRAPÉZIO VOADOR

O rapaz do trapézio voador

chegou à cidade numa tarde de grande calor

entrou num café pediu um licor

 

pediu outro e outro ainda

ao todo sete licores

cada um da sua cor

cada qual da cor mais linda

 

ao sétimo licor

sentiu uma dor

teve um sorriso amarelo

que ninguém aplaudiu

deu três voltas e caiu.

 

António José Forte,

in Maria de Lourdes Varanda e Maria Manuela Santos,

Poetas de Hoje e de Ontem

-- do Século XIII ao XXI para os Mais Novos

publicado por RAA às 13:37 | comentar | favorito