AROMA

Não invejo quem possa merecer

A realidade da tua presença.

Prefiro imaginar-te de intangível matéria,

Com medo de acordar a Beleza que sonmha

Na inefável harmonia dos teus gestos...

 

Assim fosse o teu corpo uma espécie de aroma,

Que apenas preenchesse o ar que eu respirasse!

 

Carlos Queirós,

Desaparecido (1935)

publicado por RAA às 13:53 | comentar | favorito