COMO FANTASMAS

Como fantasmas que dançam

 

sem mexer os pés,

sem mexer as mãos,

 

sorrindo anuindo

sofrendo sorvendo

 

sem mexer as ancas.

 

Sem mexer sequer a sua vasta compreensão.

 

Como fantasmas que dançam.

 

José Luís Costa, Da Madragoa a Meca (2013)

publicado por RAA às 23:36 | comentar | favorito