LUÍS VAZ

Como foi em vão teu canto Luís Vaz

por esta terra que de pátria alheia jaz

se à aventura te deste foi a musa

cruel inspiradora que sublime te elevou

filho humilde desta rude gente lusa

tão crua no sentir que a sorte te ditou

 

Pelo limbo do ocaso esmolaste a tença

degrau a degrau cobrando a vida por avença

e a hipocrisia nasceu nua naqueles quando

morto te usaram com tão grande cinismo

porque tu só pertences aos que vão rimando

este chão com revolta dor e inconformismo.

 

Francisco Cardo,

in A Batalha #260

Mai.-Jun. 2014

publicado por RAA às 18:41 | comentar | favorito