P&R - Manuel Alegre

Um poema acontece como ?   É uma toada, uma alteração da respiração, do ritmo cardíaco, por vezes do próprio andar. Não tenho uma atitude voluntarista, não me sento à mesa para escrever. Normalmente, é o poema que se impõe. Se calhar, nos bons poemas, o poeta até participa pouco. É apenas o mediador. Os gregos tinham as musas, Rilke falava do anjo, Lorca do duende: bruxarias...»

 

entrevista a Maria Leonor Nunes, JL #1135, 2.IV.2014

publicado por RAA às 18:50 | comentar | favorito