METROPOLITANO

Na Circle Line,
entre Paddington e Aldgate,
no movimento rápido da máquina,
observo os grandes cartazes que anunciam
a melhor das bebidas, a mais fina das meias,
o mais fantástico dos filmes,
vejo nos grandes painéis o sorriso aberto
e rasgado dos modelos
sugerindo-se a última novidade em disco,
convencendo-nos de que a alegria tem forma
de um fato ou de um sapato,
ou que na pastilha elástica está condensada a felicidade,
passam por mim em cada estação
enormes parangonas que proclamam
a excelência do mundo...

... e fico a pensar,
até que o ruído dos travões me chama,
porque se terá sucidado hoje uma jovem rapariga
em Sloane Square,
na Circle Line,
entre Paddington e Aldagte.

Fernando Cabrita
publicado por RAA às 23:57 | comentar | favorito