ÍNTIMO NATAL

Nunca um Natal me aturdira
com tão grande maravilha

Ó perspectiva de vida
que à vida me sobreviva

Um neto ou neta respira
no ventre de minha filha

1978.
David Mourão-Ferreira
publicado por RAA às 18:35 | comentar | favorito