AMBIÇÃO

Caiu da serra um bloco de granito
que há mil anos poisou sobre a mais alta crista.
Era um deus mineral, faminto de conquista.
Caiu quando alcançava a meta do infinito.

Ninguém ouviu a queixa, o misterioso grito
da mica a esfacelar-se em lascas de ametista.
Homem, árvore e pedra! Há que descer a vista!
A ambição de subir, eis o maior delito!

Mais alto que a montanha a pedra quis chegar.
À gota de água obscura é necessário o mar.
Às estrelas não basta a cúpula dos céus...

E nós, para fugir à nossa humana sorte,
forçámos o horizonte e em frente à própria morte,
num momento de génio imaginámos Deus.

Fernanda de Castro
publicado por RAA às 15:08 | comentar | favorito