AMANHECER

Amanhecera. O tropeiro
passa, cantando na estrada;
no seu casebre o roceiro
prepara as foices e a enxada.

Ao rumor a luz casada
enche de vida o terreiro;
parecem bruma cerrada
as flores, lá, do espinheiro...

Aspira-se o olor suave
do bom café... Alto e grave,
bate o pilão nas cozinhas.

Há junto à horta uns barrancos,
onde a mulher, de tamancos,
distribui milho às galinhas.

Bernardino Lopes
publicado por RAA às 15:10 | comentar | favorito
tags: