VONTADE DE DORMIR

Fios de oiro puxam por mim
A soerguer-me na poeira --
Cada um para o seu fim,
Cada um para o seu norte...


........................................................

-- Ai que saudades da morte...

........................................................

Quero dormir... ancorar...


Arranquem-me desta grandeza!
--P'ra que me sonha a beleza,
Se a não posso transmigrar?...

Mário de Sá-Carneiro
publicado por RAA às 12:56 | comentar | favorito