PARAGEM

Estou numa encruzilhada.

Tenho um caminho na frente,
E os meus dois braços abertos
Indicam mais dois caminhos.

Se eu soubesse qual dos três
Caminhos é o meu caminho!

Talvez o que vem bater
No meu peito e nos meus olhos...

Talvez aquele que vem
Apertar a minha mão...

Talvez o outro, -- quem sabe?

Dentro de mim, uma voz
Diz-me que só um caminho
Merecerá os meus passos.

Não me diz, porém, qual é.

E, para não perder tempo,
E dar passos escusados
Deixo o tempo ir passando...

Alberto de Serpa
publicado por RAA às 14:16 | comentar | favorito