2 comentários:

As Cantigas de Amigo dão voz à mulher , pela primeira vez, na Península Ibérica. E, mesmo que o escritor fosse homem, este tinha sensibilidade p decerto expor a psique feminina, pra mim, bem menos trágica que a dos homens.
Há leveza na cantiga de amigo - e nem me refiro à forma, mas ao tom de lamento.
Quem seriam os homens pelos quais choravam? Servos da gleba ou os vassalos que cuidavam das Senhoras?
Esse D Diniz foi incrível!
Engraçado, nunca li, acho que não há , cantiga em que um homem do povo sofra por uma mulher do povo. Sempre é a Senhora que não deixa de ser o signo do Senhor Feudal? Talvez fosse ele mesmo...Vai saber...
Rose Marinho Prado a 12 de Outubro de 2010 às 20:24
O D. Dinis foi mesmo o tal, um dos nossos maiores reis.
Pois, Rose, nunca pensei nisso. À partida, o jogral, que era vilão, homem do povo, poderia exprimir esse sentimento; mas essa vontade de Senhora, numa época de tão grande estratificação, dá logo, pelo interdito, um interesse acrescido à coisa, julgo eu...
RAA a 12 de Outubro de 2010 às 20:41