3 comentários:

O tempo, cruel, encarregou-se de matar, muito justamente, alguns destes senhores...Paz à sua alma!...
A antologia será, por isso, mais um exercício "experimentalista" de Ana Hatherly?...

da luz&da sombra
jesimões a 30 de Janeiro de 2011 às 13:53
concordo, que alguns deles foram poetas vazios de conteúdo, sempre focados na forma, que hoje só serão vistos como fazendo parte da história. Alguns deles se aparecessem hoje nunca tinham passado do anonimato.
MÁRIO CARVALHO a 30 de Janeiro de 2011 às 15:30
jesimões: teria graça, não fosse a colecção pertencer ao «Plano de Educação nacional» do governo do Salazar, esse poeta da autoridade, pouco dado a experimentalismos. Aliás, a colecção trazia uma bonita epígrafe sua, que era todo um programa. Portanto: nem experimentalismos nem neo-realismos ou surrealismos, que aqui também não moram, embora já existissem, em 1960...

Mário Carvalho; isso agora é que eu não sei. Dependeria das estratégias de relacionamento e comunicação de cada um. No entanto, parece-me que uma literatura se faz também de nomes menores, que a encorpam e dão lastro aos excepcionais que vão surgindo.
RAA a 30 de Janeiro de 2011 às 18:31