DA ÁRVORE, NUMA RUA DE LISBOA

Esta árvore só, insana,
chamou a si todos os pássaros
da rua. E aceita, assim,
mil olhos que, no crepúsculo
da tarde, se fecham,
mil olhos, abertos
no crepúsculo da manhã.


Av. da República, 1996
Fiama Hasse Pais Brandão
s#2
publicado por RAA às 01:33 | comentar | favorito