15
Ago 10

LUSITÂNIA

Os que avançam de frente para o mar
E nele enterram como uma aguda faca
A proa negra dos seus barcos
Vivem de pouco pão e de luar.

Sophia de Mello Breyner Andresen
publicado por RAA às 22:51 | comentar | ver comentários (2) | favorito

BALANÇA DE PALAVRAS

As palavras têm um tranquilo
peso oculto,
rebelde ao dicionário.

Por isso são palavras,
não vocábulos apenas.

Fossem todas as palavras
pesadas em balança como a sua,
Eugénio,
tumultuosa balança de palavras.

A. M. Pires Cabral
publicado por RAA às 19:48 | comentar | favorito

CANTIGA: PARTINDO-SE

Senhora, partem tão tristes
Meus olhos por vós, meu bem,
Que nunca tão tristes vistes
Outros nenhuns por ninguém.

Tão tristes, tão saudosos,
Tão doentes da partida,
Tão cansados, tão chorosos,
Da morte mais desejosos
Cem mil vezes que da vida.
Partem tão tristes os tristes,
Tão fora de esperar bem,
Que nunca tão tristes vistes
Outros nenhuns por ninguém.

João Roiz de Castelo Branco
publicado por RAA às 17:11 | comentar | favorito
15
Ago 10

...

Altos feitos, nobres homens se apagaram no Tempo.
Alá sobre eles derrame o consolo da chuva.
Outrora o gesto generoso não carecia de palavras
Hoje nada mais resta que som de frases ocas.

Abu-l-Walid al-Baji

(Adalberto Alves)
publicado por RAA às 01:27 | comentar | favorito