30
Set 10

...

Eles lá vão, dando à noite brasa,
Das vestes do sono despojados.

Com húmidas penas e penugem de asa
Corvos da treva os têm abrigados.

Do nocturno ventre ao dorso do dia
Ascendem possuídos de tenaz alento.

Que têm para o medo e para a noite fria?
Couraças de treva, garanhões de vento.

Se perdidos fossem na noite cerrada
O fulgor de 'Umar mostraria a estrada.

Ibn 'Abdun

(Adalberto Alves)
publicado por RAA às 23:47 | comentar | favorito

...

Sete anos de pastor Jacob servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prémio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,
Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe dava Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
Lhe fora assim negada a sua pastora,
Como se a não tivera merecida,

Começa de servir outros sete anos,
dizendo: Mais servira, se não fora
para tão longo amor tão curta a vida!

Camões
publicado por RAA às 19:31 | comentar | favorito

...

a meio da noite disse, romperam-se as águas,
e ele, sem saber porquê, acendeu a luz,
procurou os óculos em cima da mesa-de-cabeceira.
uma luzinha reflectia nos olhos dela,
percebia-se como estava assustada.
é agora, pensou. levantou-se da cama
e foi ser pai pela vida fora.

Luís Filipe Cristóvão
publicado por RAA às 17:34 | comentar | favorito

ENQUANTO TARDA O INCÊNDIO

no inverno em séculos passados
falava-se de animais

junto à lareira comentavam os mais velhos
paisagens de sol
e o vento como sendo a distância
entre a noite e o bosque

nas manhãs frias olhava-se
com calma
a neve

à volta dos sobreiros as crianças brincavam
agasalhadas
de azul

hoje, enquanto o incêndio tarda
vou sendo feliz
entre os sobreiros

Daniel Maia-Pinto Rodrigues
publicado por RAA às 14:18 | comentar | favorito

DIÁRIO DE BORDO

Cá estou eu a julgar que vou remando...

Cá vai Deus a remar
e eu a ser um remo com que Deus
rasga caminhos pelo Mar...

Sebastião da Gama
publicado por RAA às 12:39 | comentar | favorito
30
Set 10

A UMA QUALQUER

Não foi por amor ao dinheiro
nem foi por jóias
nem sequer por um vestido de seda.

Nem foi também por teres casa
móveis decentes, melhor vida.
Não, não foi por nada disto.

Tu, só tu sabes por que sorriste
e o teu coração bateu um pouco mais forte
quando o barco americano entrou no porto...

Yolanda Morazzo
publicado por RAA às 10:53 | comentar | favorito