15
Abr 11

POEMA

Era como se fosse mas não sendo:
um súbito desvão de ser fizera
uma subida que fosse ir descendo
-- outono travestido em primavera.

Amor ou desamor? Se alguém soubera...
Mas quem acreditasse ia descrendo
e do próprio descrer o era não era
entrefechava os olhos de estar vendo.

Se a palavra foi dita, o vento ergueu-a
nos seus caminhos, tão precipitado
que foi como se fosse adivinhada.

E eu amo esta incerteza que ela deu a
meu coração maduro deserdado:
que amor sempre será coisa sonhada!

Bandeira Tribuzi 
publicado por RAA às 14:24 | comentar | favorito
15
Abr 11

O PIRILAMPO

Que se passa? Nove horas da noite, e há luz ainda em casa dele?

Jules Renard

(Jorge de Sena)
publicado por RAA às 11:37 | comentar | favorito