19
Mai 11

...

O estado de iluminação não existe,
é um equívoco da sombra,
um momentâneo desvario da luz
quando hesita entre a cal  a cinza,
entre a atmosfera saturada
dos exíguos quartos interiores
e o sufoco das rosas, das camélias,
nas redomas escondidas, ocultas
que o tempo ofusca e embacia, meticuloso
artífice do envelhecimento das coisas.

José Jorge Letria
publicado por RAA às 23:50 | comentar | favorito

PARECEU-ME UM

pareceu-me um folgado gato na sesta
inquietou-me como uma coisa semimorta
apavorou-me como uma imensa asa desmaiada
lembrou-me um longínquo e achatado ente negro
assustou-me como um velho cágado triste
turvou-me como uma estopa de pôr carvão
aterrorizou-me como um paletó defunto
afigurou-se-me um vivente doméstico
encantou-me como um leque de nada
: retrocedi, e então vi
(era apenas seu
short preto
jogado sobre
a pia, seu
short-você
sem suas
pernas)

Anelito de Oliveira
publicado por RAA às 14:21 | comentar | favorito
19
Mai 11

...

Papagaios verdes
nas árvores de Lisboa
que estranho!
que maravilha!
                        12.2.09
Adília Lopes
publicado por RAA às 11:30 | comentar | favorito