06
Jun 11

...

Eis nuvens...
Que espessas são!
Parecem formadas,
Deste lado do azul do céu,
Do fumo que ao arder
Madeira verde lhes deu.

Vem chuva fina,
        Poalha de prata
        A polvilhar terra ambarina.
Mas se um instante
O sol fica a brilhar
        É como escrava provocante
        Que se mostra a quem a vai comprar.

Ibn 'Ammar

(Adalberto Alves)
publicado por RAA às 14:28 | comentar | favorito
06
Jun 11

VINTE SÉCULOS DE REVOLUÇÃO...

Vinte séculos de revolução
e ainda há fome do pão, que é a poesia.
Quando tento saciá-la, tento em vão:
é meu ritmo perene, noite e dia.

Cristo, quero escutar Teu coração:
pendo a cabeça e escuto-o. Essa agonia
de fazer o poema, essa paixão,
na última Ceia começou. Seria

um de nós... um de nós era suspeito,
um de nós, entre os doze, Te trairia.
E, sob o peso dessa suspeição,

repousei a cabeça no Teu peito.
E esse ritmo de vida que eu ouvia
era o ritmo de fome deste pão.

Jorge de Lima
publicado por RAA às 12:39 | comentar | favorito