15
Jun 11

MUDEZ

Quando por fim voltares, traz no olhar
a nesga de areal onde algum dia
te encontrei entre a espuma e a maresia,
passeando a surpresa de haver mar.

Traz também nos cabelos o luar
e deixa que o veneno da poesia
nos envenene aos dois em sintonia,
como exige o mistério do lugar.

Talvez assim eu possa finalmente
segredar-te as palavras que não soube
dizer-te no momento em que te vi

pela primeira vez e, de repente,
o mundo foi tão grande que não coube
na minha voz e logo emudeci.

Torquato da Luz 
publicado por RAA às 23:28 | comentar | favorito

CAMINHO GRANDE

Fidjinha,
não fiques nunca, à noite, no caminho grande!

Que há correntes que arrastam
cavalos que relincham
macacos que são gente
e capòtónas que surgem por detrás dos barrancos...

E não andes por atalhos...

Que António Pama pode te assaltar
e deixar-te no chão, como uma pomba ferida...

António Nunes
publicado por RAA às 15:06 | comentar | favorito

...

As palavras são como as mulheres: há que saber pegar nelas da melhor maneira. O que nem sempre sucede.
publicado por RAA às 12:42 | comentar | ver comentários (2) | favorito
15
Jun 11

CONTO DE FADAS

O ratão transformara-se num príncipe encantado de pau duro.
A bocetinha falante de Cinderela babava pelos bigodes.

                                   ***

Um reputado economista afirma
que assim como veio
a ditadura vai.
Escuto maravilhado.

                                     ***

12 O Armando é uma Boa Cabeça

Ele é excelente, efetivamente bastante bom
Acho maravilhosa a Luisinha
Não acho que ela seja fascista
Para mim foi-se o tempo
De ler Le Monde e mexer a bunda
Você vai me achar boba
Mas não consigo me livrar
Dos sentimentos românticos
O nosso convívio rendia muito
Minha cuca está fundida
Caralho

Roberto Schwarz
publicado por RAA às 10:48 | comentar | favorito