31
Out 11

POÉTICA

1

 

Que é a Poesia?

                        uma ilha

                        cercada

             de palavras

                        por todos

                        os lados.

 

 

2

 

Que é o Poeta?

                       um homem

que trabalha o poema

com o suor do seu rosto.

                       Um homem

             que tem fome

             como qualquer outro

                       homem.

 

Cassiano Ricardo

publicado por RAA às 18:13 | comentar | favorito

MUY CERCA DE VIA VENETO

Ni las tercas ruinas ni el gastado

esplendor, ni la púrpura o el mármol,

herencia fastidiosa de los siglos,

han de permanecer en la memoria.

 

La roja y fresca invitación de un puesto

de sandías, alguna fuente indigna

de la inmortalidad da las postales,

la matinal sonrisa de la luna,

los libros que vendían en un puente

custodiado por ángeles, los sabios

labios de aquella prostituta

muy cerca de Via Venetto, el mendigo

que nos miró con el desdén de un príncipe...

Tal es, oh Roma, el don que me has dejado.

 

José Luis García Matín

publicado por RAA às 16:38 | comentar | favorito

MADRIGAL

Herdei uma floresta sombria

onde raramente ponho os pés. Mas

lá chegará o dia em que mortos e

vivos mudarão de lugar. A floresta

começará então a mover-se. Mas

ainda nos resta alguma esperança.

Apesar de muito polícia se

esforçar, os piores crimes ficarão

por desvendar. Do mesmo modo

há sempre nas nossas vidas um

grande amor por revelar. Eu herdei

uma floresta sombria, mas hoje

passeio numa outra, plena de

claridade. Tudo o que está vivo e

canta, serpenteia, acena, rasteja!

É primavera, e o ar que se respira é

fortíssimo. Tenho um diploma da

universidade do olvido, e as mãos

tão vazias como a camisa pendurada

na corda de secar roupa.

 

Tomas Tranströmer

 

(Alexandre Pastor)

 

publicado por RAA às 14:58 | comentar | favorito
31
Out 11

...

Ó noite de festa que de novo

Em minha vida aconteceste

Revivo a memória eterna que em ti existe

E outra vez amável me trouxeste.

E, no entanto, a gente que te olhou

Só viu no teu pálido crescente

Um ser emagrecido e triste...

 

Ibn Harun

 

(Adalberto Alves)

publicado por RAA às 11:29 | comentar | favorito