CANTO DE MAIO

Já vem Maio florir sobre as campinas!...
Cantam, de amor, mil vozes cristalinas...
      Por que hei-de sofrer de amor?

O mundo reverdece de alegria;
O sangue, em nós, é sonho e melodia...
      Por que hei-de sofrer de amor?

Sob este céu, em que a alegria exulta,
Por que há, em mim, uma ansiedade oculta?
      Por que hei-de sofrer de amor?

O mundo é seiva ardente e fervorosa...
Por que persiste, em mim, a força ansiosa?
      Por que hei-de sofrer de amor?

É passageira a luz da primavera...
E o sonho da minha alma, esta quimera,
      Por que hei-de sofrer de amor

É ter no mundo o amor que nunca passa.
É para dar aos céus a humana graça,
      Que eu hei-de sofrer de amor.

João de Castro Osório
publicado por RAA às 11:02 | comentar | favorito