6 comentários:

Só espero que os meus filhos venham a pensar o mesmo de mim
claras manhãs a 30 de Outubro de 2008 às 01:05
ui...é um poema intenso, pela negatividade q descreve (do ambiente húmido...)e pela doçura (amor filial) com q termina.
nas asas de um anjo a 30 de Outubro de 2008 às 09:07
Minucha: a mãe está sempre a amparar-nos, não é? A minha, está.

Asas (afinal como é que você se chama?...): concordo consigo.
RAA a 31 de Outubro de 2008 às 01:10
ana margarida (",)
nas asas de um anjo a 31 de Outubro de 2008 às 20:47
Oh, Ana Margarida, eu já sabia... ;)
RAA a 1 de Novembro de 2008 às 02:00
já sabia?
como?(",)

(leu o "soletra-me"?)
nas asas de um anjo a 1 de Novembro de 2008 às 09:24