...

Quão tarde se sente,
quão tarde se entende
quanto bem depende
de fugir da gente!

Frei Agostinho da Cruz
publicado por RAA às 15:36 | comentar | favorito