...

Um sedativo, uma ambulância, um hospital. E
a memória branca. O céu, o mundo. E noites sobre
noites. E o mar. Escutavas sua voz quando escutavas,
de anjos e de santos, o cantar. Escutavas o rumor
da terra. Rosas, rosas, rosas.


Carlos Matias, Estoril, 2004
publicado por RAA às 14:40 | comentar | favorito