FADO DO BICHINHO DA TERRA

És gesto mas não de gente
és boca mas não de beijo
quando te olho de frente
e encontro o que não vejo.

Estes lábios esta voz
esta celeste frescura
esta fome que há em nós
e dentro de nós procura

como os bichinhos da terra
as raízes da figueira
como a noite que se cerra
em torno da terra inteira.

Como a luz de lado a lado
como a espada até ao fundo
como se eu fosse culpado
da miséria que há no mundo.

António Lobo Antunes
publicado por RAA às 23:33 | comentar | favorito