...

Eu sei que a rota já virou;
a minha:
um último cansaço,
um último
impossível
esforço
do meu braço.

O corpo inteiriçado pra aguentar o leme.
A vela da ilusão tão retesada,
tão grávida de força,
que a nau é dominada.

O coração não teme.
Está tudo o que me resta,
a dor e a alegria,
a força e a esperança,
o tempo e a ansiedade,
está tudo acorrentado ao barco que protesta.

Cochat Osório
publicado por RAA às 14:17 | comentar | favorito