QUATRO POEMAS DO RETARDADOR (4)

A bilha de barro berra
Nesta paisagem parada,
Agudos gritos de guerra:
Que assombram na suave serra
A verdura repousada.

Cantando passa e não pensa,
Dolente, a moça que a leva;
-- Mas breve a sombra se adensa
E lhe dilui a presença
Torva, na tinta da treva.

Carlos Queirós
publicado por RAA às 23:49 | comentar | favorito