UM CÃO LADRA

Um cão ladra, do lado de fora, à minha esquerda.
Desafia outras vozes, que agora distingo
mais humanas.
Está no cio, tem fome, apenas desconfia?
Pergunto-me o que seria do mundo
no instante em que todos os animais se calassem.
O que seria a paciência do mundo
sem esta estima e simpatia
sem esta gelatinosa harmonia.

Pergunto-me o que seria cair do sono todos os dias
sem esta batalha perdida.

José Ilídio
publicado por RAA às 17:49 | comentar | favorito