INTANGÍVEL

No voo em que me enlevo a procurar-te,

Mergulho no infinito, e até parece

Que um murmúrio de cântico e de prece

Me embala e vai comigo a toda a parte...

 

E toda a sombra má desaparece,

E toda a luz é para iluminar-te,

A música de Deus para cantar-te,

Por ti se enflora a terra e o sol aquece...

 

Por ti, que enches o mundo e não te vejo,

Onda incorpórea e hálito disperso,

Nuvem de fogo e sonho de desejo!

 

Por ti, que diluída no universo,

És o dulçor que encontro em cada beijo,

A harmonia que busco em cada verso!...

 

Cândido Guerreiro

publicado por RAA às 14:37 | comentar | favorito