O PESCADOR

A terra bebeu a neve

       e, de novo, desabrocham

as flores de pessegueiro.

       O lago é prata derretida

e são ouro recente

       as folhas do salgueiro.

Sobre as flores

       borboletas empoadas

descansam suas cabeças de veludo.

       Quebra-se a superfície do lago

quando, do barco parado,

       o pescador lança as redes.

Seu pensamento está com a mulher amada.

       Ele regressa ao lar,

tal como a andorinha

       leva comida ao seu par.

 

Poemas de Li Bai

(trad. António Graça de Abreu)

publicado por RAA às 18:43 | comentar | favorito