"Sou eu quem anda esta noite"

Sou eu quem anda esta noite,

pelo meu quarto, ou o mendigo

que rondava o meu jardim

ao cair da tarde?...

Fito

tudo em redor e encontro

que o mesmo é, mas distinto...

A janela estava aberta?

Eu não tinha adormecido?

O jardim não estava verde

de luar?... E o céu límpido

e azul... Há vento e nuvens

no jardim ora sombrio...

A minha barba era negra...

De claro eu estava vestido...

Minha barba agora é branca,

estou de luto. Vai comigo

meu andar? Tem esta voz

que ressoa em mim os ritmos

da voz que eu tinha?

Sou eu, ou sou o mendigo

que rondava o meu jardim

ao cair da tarde?...

Fito

em redor... Há vento e nuvens...

O jardim está sombrio...

 

...E vou e venho... É que eu

não havia adormecido?

A barba está branca... E tudo

é o mesmo e é distinto...

 

Juan Ramón Jimenez,

Antologia Poética

trad: José Bento

publicado por RAA às 13:08 | comentar | favorito