GOA

Bela, jovem, toda branca,
A vaca tinha longos finos cornos
Afastados como as hastes da cítara
E pintados
Um de azul outro de veemente cor-de-rosa
E um deus adolescente atento e grave a guiava

Passavam os dois junto aos altos coqueiros
E ante a igreja barroca também ela toda branca
E em seu passar luziam
Os múltiplos e austeros sinais de alegria.

Sophia de Mello Breyner Andresen
publicado por RAA às 01:19 | comentar | favorito