RUA

Mil coisas me contavam,
mil números,
mil coisas decifradas
e mais uma.

Sempre de perfil
no umbral do mundo,
a porta não entrando
das certezas,

às doutrinas fugia
e suas poses.
E em meu ombro adeus

cerrou-se a porta:
«Ó homem de esguelha
como quem ouve vozes!»

Pedro Alvim
publicado por RAA às 19:22 | comentar | favorito