25
Set 11

O SOL É UM COMETA

Um astro rápido atravessa a água
do céu de maio não como um destroço
das primaveras que o passado esmaga
é um leão que treme na luz de ouro

O sol é um cometa quando o vejo
com os músculos de ouro do meio-dia
dilacerar a água que o protege
tal como o corpo dilacera a vida

Gastão Cruz
publicado por RAA às 23:16 | comentar | ver comentários (2) | favorito
28
Jan 11

QUESTÕES DE TEMPO

1

O que representava esse arrepio
que com a noite vinha e me fazia
duvidar que pudesse em outro tempo

voltar a ver o corpo da alegria?
Todo o tempo é composto por enigmas
toda a mudança que eles significam

desaguará em perda esse o sentido
da noite que responde agora na
floresta do passado às aves fugitivas

Gastão Cruz
publicado por RAA às 23:54 | comentar | favorito
13
Out 10

...

Revimos a grosseira superfície do
amor
Ninguém pudera corrompê-la tanto
por actos e palavras. Estivemos
novamente deitados na aspereza
do seu leito
Um ramo na mão tinhas e quiseste
medi-lo com os lábios e metê-lo

no centro doloroso do teu corpo
Eu via as tuas mãos que procuravam
inseri-lo e guardavam
nas linhas ávidas o seu limite grosso
Interrompeste o
sono magoado do meu corpo
e comigo
dormiste sobre as manchas depois

Gastão Cruz 
publicado por RAA às 14:18 | comentar | favorito
04
Set 10

NOITE DA RIA

Há formas indistintas que na noite da ria
se movem, silhuetas passando junto à água
um barco mal visível ao candeio
mas não, é só alguém que na vazante
anda na maré baixa transportando
um candeeiro que projecta raios
iguais aos das estrelas, sempre vivas
nas noites do verão; deixo de ver por vezes
essa estrela nas mãos de quem a usa para
paralisar os chocos na areia
sob a água de súbito avistados
rápido corre um barco despertando
a surda ondulação brevemente acabada
as aves só o canto as eleva da água
que durante algum tempo fica a bater nos barcos
sem outro som até que novamente os pios
no rumor do silêncio como sobre
uma sombra refazem o seu ritmo

Gastão Cruz
publicado por RAA às 19:37 | comentar | favorito