19
Mai 11

...

O estado de iluminação não existe,
é um equívoco da sombra,
um momentâneo desvario da luz
quando hesita entre a cal  a cinza,
entre a atmosfera saturada
dos exíguos quartos interiores
e o sufoco das rosas, das camélias,
nas redomas escondidas, ocultas
que o tempo ofusca e embacia, meticuloso
artífice do envelhecimento das coisas.

José Jorge Letria
publicado por RAA às 23:50 | comentar | favorito
06
Out 10

...

As casas celebraram um pacto com a cal
e com o brilho limpo do sol.
Tudo em redor cheira a mirto,
a eucalipto e alfazema. Entardecem
estes dias na embriaguez
que só o tempo, esquivo e fugidio,
é capaz de pôr no álcool das noites.
Que idade temos nestes meses
em que não é permitido ter idade?
O corpo retoma a euforia enganadora
de dar-se e de esbanjar-se
e nós esquecemos que até no sono
se envelhece, como as aves,
as ervas e os ondulantes deuses da água.

José Jorge Letria
publicado por RAA às 19:21 | comentar | favorito
30
Jul 10

OS NAMOROS DE VERÃO

O namoro durava o que durava um Verão,
tanto e tão pouco, quase nada.
Era um sopro, uma embriaguez,
um êxtase, com o mar ao fundo
a trazer para o areal algas e conchas,
restos de comida, garrafas vazias,
objectos náufragos, nomes de sereias.
O Verão, às vezes, durava uma vida.
Outras vezes durava uma noite.
Havia uma canção que marcava a cadência
da paixão volátil: Smoke Gets in Your Eyes.
Como seria ridículo dizer isto em português.
Depois havia as cartas e os retratos
com dedicatórias lembrando aquele Agosto,
aquele passeio de barco, aquela
madrugada no Palm Beach
ao som do Yesterday. Era tão veloz
esse tempo que parecíamos envelhecer
uma vida em cada semana.
Se morria um amigo, era como
se morresse para sempre a magia do Verão.
E nunca mais houve amores
como esses, primordiais e inocentes. Totais.
Voltar a eles é tão impossível
como voltar ao aconchego do ventre materno.
O namoro durava apenas um Verão,
mas é sempre a ele que voltamos
quando a palavra amor nos queima os lábios.

José Jorge Letria
publicado por RAA às 14:43 | comentar | favorito