05
Dez 13

ABAFADOR

Os teus olhos de berlinde

anémonas-do-mar

joguei ao "matas" com eles

só p'ra te sodomizar

 

Deixei-te a chorar na praia

a vulva cheia de sal

beijaste na boca a raia

num dia de Carnaval

 

Tomaste na mão os bilas

os berlindes ou os guelas

meteste na boca as pilas

os colhões, iscas com elas

 

Tens uma racha apertada

um cofre d'abafadores

tu gostas de marmelada

só na Ilha dos Amores

 

Os teus olhos de berlinde

anémonas-do-mar

pedem ao Rei de Melinde

p'ra na pachacha mamar

 

Dick Hard,

De Boas Erecções Está o Inferno Cheio

publicado por RAA às 13:45 | comentar | favorito
16
Out 13

UM JOGO DE HÓQUEI À SOMBRA DA BANANEIRA

Dei-lhe

uma sticada

e deixei-a

abananada

 

Dick Hard,

De Boas Erecções Está o Inferno Cheio

publicado por RAA às 13:04 | comentar | ver comentários (2) | favorito
19
Jul 13

WARNING

Tu, que te abandonaste ao gozo

sentindo a roçar no sexo

o húmido duma língua desejada

 

Tu, que fechaste os olhos em delírio

e afagaste os cabelos sedosos

dum ser que te deu prazer

 

Tu, que gemeste como louca

em noite trovoada

com travo orgiástico

 

Tu, que sentiste na goela

o frio da lâmina a cortar-te as veias

 

Tu, sim, tu

devias ter-te lembrado

antes de morrer

 

Os serial killers

também fazem

minete

´

Dick Hard,

De Boas Erecções Está o Inferno Cheio

publicado por RAA às 13:00 | comentar | favorito
24
Jun 13

O VENDEDOR DE SOUTIENS

Há homens que nascem pró trabalho

outros gozam à brava na cama

mas só os vendedores de soutiens

trabalham e vivem da mama

 

Dick Hard,

De Boas Erecções Está o Inferno Cheio

publicado por RAA às 18:38 | comentar | ver comentários (2) | favorito
08
Mar 11

MÊS DE MAIO

Maio de 68
houve só um
Maios de 69
são quando um homem quiser

Dick Hard
publicado por RAA às 16:35 | comentar | favorito
24
Set 10

PONY EXPRESS

Se as paixões
não são correspondidas
a culpa pode muito bem
ser dos Correios

Dick Hard
publicado por RAA às 19:13 | comentar | favorito
15
Set 10

CORAÇÃO SELVAGEM

Amores
por desbravar
eu tenho imensos

Como lagos
em fúria
nos luares

Em selvas
do coração
por descobrir

Sem raízes
que me prendam
aos lugares

5/2/98
Luís Graça
publicado por RAA às 10:41 | comentar | favorito