CICLO

I

 

Convalesço... -- Quem sabe

Se é uma alma nova, esta que os olhos abre,

E repousa na vida, nas cousas, em mim,

Um cansaço que vem de séculos sem fim?!

 

A doença? -- O mistério, a dúvida, a estranheza...

Noites de angústia e febre, à espera, inutilmente,

Duma luz que incidisse, de repente,

Num verdadeiro indício de beleza.

 

Carlos Queirós, Desaparecido (1935)

publicado por RAA às 13:14 | comentar | favorito