"MInha mais querida"

Minha mais querida.

Mais do que nunca

é necessário 

amar.

Mas amar bem.

Amar muito.

Amar sempre mais.

Amar sim como só eu te amo.

Amar mais do que é preciso.

Amar muitas vezes desesperadamente.

Amar sempre tanto

tanto...

tanto...

tanto quase como quem delira.

 

Ou então meu amor

amar acima de tudo

e além de todos

mas amar sempre mais do que a raiva

mil vezes raivosa de quem na prisão

nos odeia!

 

José Craveirinha, Cela 1 (1980)

publicado por RAA às 23:50 | comentar | favorito