"mulher pela casa fora pastora do meu sexo"

mulher pela casa fora pastora do meu sexo

de manhã perdida à tarde encontrada

afinal parecida com o líquen sobre as árvores

 

e outra vez

sem medo nem cuidado amar morrer

 

vozes falam de ti durante o dia

luzes brancas na bruma

frechas do sangue

 

ao tempo em que aprendias e depois

amor quase a tristeza

 

e depois amor quase gritaste

 

Fernando Assis Pacheco, Memórias do Contencioso (1976)

 

 

publicado por RAA às 13:39 | comentar | favorito (2)