29
Jan 13

"Com mãos aflitas suas vestes busca,"

Com mãos aflitas suas vestes busca,

a desfeita grinalda atira à lâmpada,

rindo confusa, e só procura ansiosa

cobrir-se aos olhos meus. Ah como é doce

fitá-la assim, depois que nos amámos!

 

Amaru

(in Jorge de Sena, Poesia de 26 Séculos)

publicado por RAA às 19:18 | comentar | ver comentários (4) | favorito
28
Set 12

"AO VER A SUA BOCA AO PÉ DA MINHA BOCA"

Ao ver a sua boca ao pé da minha boca,

desviei o olhar. E as mãos pus nos ouvidos,

quando as palavras dele retiniam.

Também escondi com as mãos o suor de enleio

que a fronte me perlava. Tentei tudo.

Mas que fazer, quando senti que as vestes

por si caíam pelo meu corpo abaixo?

 

Amaru

(Jorge de Sena)

publicado por RAA às 17:38 | comentar | favorito
05
Jul 12

"-- Aonde vais pela alta noite dentro?"

-- Aonde vais pela alta noite dentro?

-- Encontrar-me com quem me é vida e morte.

-- E não tens medo de sair tão só?

-- Sòzinha? Eu? Se vai comigo o amor!

 

Amaru

(Jorge de Sena)

publicado por RAA às 14:33 | comentar | favorito