PERENIDADE

Tombam as folhas, segundo a Natureza;
a Árvore, essa, permanece no chão que a justifica.

Assim nos Outonos da Humanidade:
morrem os homens,
mas aquela -- fica.

E se a Árvore de novo floresce,
mais verde em cada renovo,
também a Humanidade cresce, cresce,
e a seiva corre mais rica
no génio de cada Povo.

André Varga
publicado por RAA às 11:05 | comentar | favorito